quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Amor? Para quem quer e precisa...

Sabe o que acontece? Uma hora cansa. Uma hora cansa de querer provar para pessoas erradas como são importantes, cansa amar quem n se interessa pelos teus sentimentos e ainda te trata com indiferença, cansa permitir q uma lágrima role enquanto é motivo de riso de outrem, cansa implorar as coisas, cansa insistir em quem n te quer por perto, cansa receber ingratidão. Então você vê q n foi muito diferente do q já aconteceu no passado, vê q no fim as pessoas são assim, quando não precisam mais de ti "somem". Vê que no fim, errou, errou a muito tempo quando não percebeu aquilo q era diferente, aquilo que te fazia sair do chão com uma simples brincadeira, aquilo que sempre foi e teria sido, se houvesse mais paciência. Porém, não há o que mudar e sim o que fazer, talvez o certo não seja buscar o que te importa e sim para quem ou o que você é importante, para quem você faz a diferença, para quem vai te dar um sorriso sincero agradecendo um mínimo ato que fizer. Uma ideia que foi plantada a um tempo na minha cabeça, mas que esse ano me fez refletir verdadeiramente sobre ela e decidi que é isso que quero. Fazer por quem se importa, fazer por quem precisa, fazer por alguém que nunca vai cansar da sua ajuda, do seu carinho e do seu amor. Ano que vem, começará a longa jornada, já que, após algumas tentativas frustradas percebi o que realmente devo fazer fazer na minha vida.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Coisas de adolescentes ...

Faz muito tempo que eu não escrevia exatamente NADA. Acho que o trabalho limitou a minha imaginação, já que, não tive mais tanto tempo para pensar e sonhar. Pois aqui estou de volta, para contar um pouco do que estava a pensar.
Descobri que eu sou mais normal do que imaginava. Minhas inseguranças e medos de ser transparente não eram apenas "meus". A armadura que desenhei especialmente para meu coração, não era a única que existe.
É engraçado como tudo é transitório e momentâneo. Sempre achei idiota pessoas choronas, ultimamente chorei tanto que enchi o rio Guaíba. Sempre condenei quem dizia morrer por um amor, hoje eu faço planos de como será meu suicídio. Mas tudo está tão confuso aqui dentro, tenho medo de errar e me arrepender.
Não adianta, sempre que esperarmos muito de alguém sofreremos. Eu nunca me contradisse tanto como nesse ano. Descobri que não à razão que o coração não desbanque porque ele é o cara que vai dizer a palavra final, ele é o ditador. E como engana... nossa! Seria tão mais fácil dar ouvidos à razão. Só que essa também nos engana, e muito.
É fácil entrarmos em uma bolha e nos protegermos do mundo, assim como é fácil ser controlado e deixar as coisas rolarem. Difícil mesmo é sair da bolha e dizer: esse sou eu. Quero viver minha vida do meu jeito e foda-se quem não gostar. Pois quem perdeu seu tempo deduzindo que não gosta de como eu vivo é porque não sabe onde está a sua própria vida.
Tristeza, felicidade, raiva, compaixão... É tudo tão passageiro, a cada momento sentimos uma coisa diferente e isso que nos faz sermos incríveis, sermos humanos.
Hoje vi um filme brasileiro, acho que se chamava "as melhores coisas do mundo". Contava história de alguns adolescentes que eu gostei, mostrava o quão superficial muitos eram, o quão nos importamos com merdas minúsculas que na verdade não farão diferença alguma e como é bom fazer algo por nós mesmos. O Fiuk fez um papel interessante, eu me identifiquei com ele, era bastante sensível e intenso. Tinha um blog também e poucas razões para viver assim como eu. Quando ele perdeu a principal razão de viver dele, tentou o suicídio. Eu particularmente, acho incrível. Faço planos de como fazer isto, mas penso em algo que não danifique meus órgãos, pois queria doar o máximo possível. Portanto nada de tiro, esmagamento, perfuração, carbonização ou qualquer coisa que não dê chance de vida ao próximo. E mesmo que eu queira, não tive e não tenho coragem ainda. E acho mais, saber que um dia morreremos é a melhor coisa, pois assim teremos chance de fazer tudo aquilo que temos vontade, já que, não sabemos se teremos novamente a chance.
É como um paradoxo, ver a beleza de viver e desejar a morte. Só senti vontade de desabafar um pouco sobre o que eu sentia, pois hoje em dia, tudo pra mim parece ser superficial. Isso me deixa mais triste com a vida, mas fazer o que? Desistir é a coisa que mais sei fazer, mas isso não significa que seja a melhor ;)

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Quem é o sapo e quem é o príncipe?

Quantas vezes reclamamos das pessoas dizendo que não nos amam? Sejam pais, amigos ou até mesmo namorados....
Assim como acredito que felicidade tem um significado único a cada um, com o amor não é diferente. Nós crescemos em famílias diferentes, com seus próprios costumes e valores e isto nos torna pessoas diferentes na hora de amar.
Uma vez vi uma frase que me chamou muito a atenção... "Não é porque uma pessoa não o ama da forma como você gostaria que esta pessoa não o ame da forma mais intensa que pode". Do jeito difícil eu vi isso. Duas pessoas em minha vida, duas situações diferentes e só depois que tudo acabou que vi que aquele que menos demonstrava de maneiras bonitas e diferentes foi o que mais me amou.
Diga-me... Você quer um príncipe? Eu já conheci. Era gentil, meigo, honesto, inteligente, sensível... Simplesmente incrível, mas não tinha nada a ver comigo... Não que eu seja péssima e tal, mas tenho defeitos e gosto de tê-los, me fazem ser quem sou e é por isso que devo achar alguém real e com defeitos assim como eu.
Então quando eu achava que sabia muito do amor, não sabia nada. Pois meu sapo era meu príncipe e meu príncipe era um sapo.
É sapinho... Você é incrível e gostaria de poder estar com você agora, mas não estou. Não seria possível analisando tudo, e na verdade não me arrependo.
Deixando uma história pude viver outra e ter novas experiências que poderei utilizar futuramente... Ao encontrar um novo sapo.
E quando esta hora chegar me lembrarei que o que você mostra pode não ser bem o que sente, seja bom ou ruim.
Aliás, não há como julgar sem sentir e nem saber sem correr riscos.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Homem sentado ao lado no ônibus!

É perigo na certa.
Alguém pode me explicar porque os homens são assim? Juro que as vezes sinto mais educação vinda de um cachorro do que um homem (não desmerecendo os cãezinhos). Principalmente se este se sente ao seu lado em um ônibus.
Eu passo cerca de uma hora e meia por dia no ônibus na ida e volta, do trabalho para a casa e já não foi a primeira e nem segunda vez que ocorreu uma coisa assim. Agora me diz... Porque homens tem que sentar de pernas abertas? Será que eles tem uma bomba relógio no meio...? E que vai explodir se eles fecharem aquelas pernas? Não precisam grudar uma na outra claro, mas não escancará-las já seria um enorme progresso.
O pior é que não se flagram que além de ocupar o seu assento desta maneira, ainda ocupam metade do nosso e tudo isso na maior cara de pau. E se você assim como eu não gosta de tocar nessa pessoa tem que se espremer no lado para não encostar sua perna.
E sabe, isso também é culpa das "mamães" pois uma vez quando peguei um ônibus tinha um menininho no colo do pai com as pernas normais e fechadas (de forma educada) e a tosca da mulher fez a criança escancarar as pernas... Eu até tive pena do menino que quase distendeu o músculo, aposto. Mas aí eu percebi quem planta essa pouca vergonha.
Ah sim... Por curiosidade, o pai nem queria, mas como eles nos obedecem ele acatou a barbaridade, mesmo sendo o cúmulo.
Crianças e adolescentes, arregaçarem suas pernas ao sentar não os tornam mais homens. Não que tenham que parecer homossexuais, mas somente a educação é o suficiente. Por favor, fica a dica ;)

O suficiente para ser feliz...

Sabe, eu sou uma pessoa que gosta muito de ver seriados pois acredito que alguns mostrem relações sociais semelhantes as que temos em nossas vidas.
Claro que não serei hipócrita de achar que na vida real toda(o) mocinha(o) se dá bem no final. Na verdade eu não creio em vilões ou mocinhos, creio que existam pessoas com qualidades e defeitos que optam por usar um ou outro que acabam por sobrepor o inferior.
O que me chamou atenção em um ( que não será divulgado ) é o fato de como encaramos o que temos e recebemos da vida. Quando temos nada só desejamos ter pouco, quando temos pouco só desejamos ter muito e quando temos muito as vezes desejamos ter nada. Sim, isso parece estranho, aliás o muito é bom... Será?
Se pergunte... "O que quero da vida?". Aposto que essa é fácil de se repetir e obter-se muitas respostas. Agora pense..."Quantas coisas boas eu tenho na minha vida?". Você já se perguntou isso antes?
Graças ao mundo em que vivemos achamos que nossa vida nunca está boa, pois o esteriótipo de uma vida feliz são impostos para nós, mas pense... Se ninguém é igual porque temos a mesma definição de felicidade? Na minha opinião felicidade é uma palavra/sentimento tão individual e que junto com a sociedade nos confunde.
Pra que levar a vida tão a sério? Por que não rir de nossos erros e sorrir para o outro demonstrando que está aberto a novas oportunidades e amizades?
Defina sua própria felicidade e busque-a. Só não se iluda em achar que é eterna, pois o sempre pode acabar e o nunca iniciar.

sábado, 25 de dezembro de 2010

Amoor? pra quê?

Passei algum tempo sem postar nada, a verdade é que as provas vieram com tudo, o curso esteve superlotado de trabalhos e mais algumas coisas que aconteceram decorrentes de mal entendidos na vida pessoal. Enfim, comecemos com o verdadeiro intuíto desse post. Uma coisa me veio a cabeça agora e eu penso... Quando é a hora certa de amar? Quem nos entrega o manual, e se nos entregam, quando realmente lemos? E porque ele acaba? É tão bonito quando estamos vivendo, parece perfeito e eterno e quando ele bate de frente conosco lutamos, afinal ainda tem uma maneira de reconquistá-lo... Será? E quando esta opção não nos é oferecida? Acho que essas duas situações são decisivas. Com o medo de talvez perder aquilo acabamos nos tornando pessoas muito melhores e então tudo transcorre como deveria, até outro problema aparecer, mas eles devem estar presentes sim e devemos sempre resolvê-los. A segunda situação nós aprendemos na pele, posso dizer por experiência própria. Um dia as coisas se transformam e você tem que se adaptar as novas coisas, no início é muito doloroso, mas o tempo realmente é o melhor remédio. Só que nesses momentos ele não passa, você agradece por ter tantas coisas com o que ocupar sua cabeça durante o dia para não pensar naquilo, então quando chega a noite, tudo parece não ter feito a menor diferença. Sua fortaleza cai e você acaba sendo sufocado por seus piores pesadelos, e aí querido sinto informar que você estará horrivelmente só e isso doerá mais ainda. Enfim quando você decide parar de pensar naquilo tudo parece um alívio, aos poucos você excluí aquilo, mas sempre fica algo que possivelmente você não saberá explicar. Mas quando toda a fase difícil passar você irá se questionar, será que aquilo era realmente amor? Talvez eu só estivesse acostumado com aquela vida... No meu caso não foi apenas costume, mas espero que no seu seja. O próximo passo é colocar em prática toda aquela histórinha que você criou enquanto estava em estado crítico, como: vou pegar todo mundo, vou ficar sózinho estudando e pensando no meu futuro, vou sair pra tudo quanto é lugar ou vou me matar... Só não se suícide, isso tá virando problema de saúde pública. Então você coloque o seu plano em prática e faça aquilo que te deixe bem, se acha que deve arranjar um namorado(a) faça-o, se você acha que deve curtir, faça-o. Só não faça uma coisa no qual se arrependerá depois. E pra finalizar contarei o que eu decidi. Inicialmente eu iria pegar e trovar tudo que fosse do sexo masculino e tivesse beleza mas então eu vi que talvez isso não me satisfizesse e daí eu decidi que iria simplesmente me deixar levar pelos desejos, priorizando meu futuro profissional, então quando estiver com vontade de ficar, ficarei, quando não quiser, não ficarei e assim será! Com esta filosofia aplicada a todos os setores de my life.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Final do ciclo 2010 :D

É minha gente, final de ano chegando uns felizes por terem passado (escola) outros tristes por terem rodado e alguns nem aí com nada mesmo... uahsuah // pra ser sincera não sei com qual me identifico.
Enfim é nesse momento que muitos param para refletir e não digo apenas aquele pensamento clichê "Mas o ano passou rápido né" e sim uma boa reflexão de tudo que ficaram de fazer em 2010 e não fizeram (no meu caso uma viagem) ou aquilo que realmente cumpriram graças a perseverança (meus parabéns).
Esse é o momento de pensar em relacionamentos mal resolvidos, contratos quebrados ou estudos comprometidos. Pensar por que deu errado e planejar para que dê certo, manter tudo aquilo que esteve bem.
Aham vai sonhando...
Aconselho todos a fazer, mas uma pessoa como eu que pensa até no sonho impossível de lembrar desde que nasceu deve mesmo é deixar a vida correr e subir na sua traseira (como você fazia em ônibus na sua infância - não tive essa oportunidade - ).
Sabe eu decidi parar de pensar tanto, de tentar achar sentido na vida e nas coisas que acontecem porque mesmo que encontre respostas, as coisas não mudam e o especial de tudo isso é as consequências dos acertos, erros e incertezas.
O meu ano começa hoje 24/12, sabe, eu estipulei isso porque acho que o meu ciclo 2010 acabou mas você ainda tem até dia 31 pra mudar o que quer que seja em sua vida. E não tenha medo de fazê-lo. Bom pessoal, boas festas pra todos e 2011 tem muito ainda pra viver =)